Últimas

Covid-19: OMS pede que países adiem 3ª dose até vacinar vulneráveis


Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
O Distrito Federal começou a vacinar pessoas com 49 anos a partir de hoje. A vacinação contra a Covid-19 começou no dia 19 de janeiro e o DF já recebeu 1.455.070 doses de imunizantes.
Crédito: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, pediu hoje (18) que os países adiem a aplicação da terceira dose de vacinas contra a covid-19 para que os insumos possam chegar a países onde nem mesmo os profissionais de saúde e as populações de risco foram imunizados ainda.

Em entrevista coletiva virtual, Tedros destacou que, atualmente, apenas dez países alcançaram cobertura vacinal de 75% contra a doença. Segundo ele, a maior parte das nações de baixa renda sequer atingiu a marca de 2% da população imunizada. “O que está claro é que é urgente aplicar a primeira dose e proteger os mais vulneráveis antes que as terceiras doses sejam distribuídas.”

“A distância entre os que têm e os que não têm [acesso à vacina] só se tornará maior caso os fabricantes e líderes priorizem doses de reforço no lugar de fornecer o insumo a países de média e baixa renda”, disse. “O vírus está evoluindo e a prioridade dos líderes não deve ser se concentrar em objetivos nacionalistas já que vivemos em um mundo interconectado e o vírus está sofrendo mutações rapidamente”.

Outras emergências

Na entrevista coletiva, Tedros citou ainda os recentes surtos de ebola identificados no continente africano, a situação no Afeganistão, o terremoto no Haiti e um caso do vírus causador da febre hemorrágica na Guiné. “Posso dizer, honestamente, que nunca vi tantas emergências acontecendo simultaneamente. Este momento da história é de extrema fragilidade”, ressaltou.

“O sistema humanitário está sendo forçado ao seu absoluto limite – e além – pela crise climática, por desastres naturais, por conflitos e pela pandemia”, concluiu.


Notícias relevantes: