Últimas

Estado do Rio segue com risco baixo para covid-19 mas está em alerta


Fernando Frazão/Agência Brasil
Rio de Janeiro - Início da vacinação contra Covid-19, no Cristo Redentor, a idosa Terezinha da Conceição e a técnica de enfermagem Dulcinéia da Silva Lopes, com o governador Claudio Castro e o prefeito Eduardo Paes. (Fernando Frazão/Agência Brasil)
Crédito: Fernando Frazão/Agência Brasil

A 44ª edição do Mapa de Risco da Covid-19 do Rio de Janeiro mostra que o estado continua em bandeira amarela (risco baixo para a doença). Essa é a sexta semana consecutiva que o Rio apresenta bandeira amarela, segundo a publicação da Secretaria Estadual de Saúde.

O estudo prevê uma escala de cinco bandeiras: roxa (risco muito alto), vermelha (risco alto), laranja (risco moderado) e verde (risco muito baixo), além da amarela. O estado teve uma redução de 16% no número de mortes por covid-19 e de 6% nas internações por síndrome respiratória aguda grave (SRAG), entre as semanas epidemiológicas 29 (18 a 24 de julho) e 31 (1º a 7 de agosto).

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, o momento, no entanto, é de alerta, já que, apesar disso, algumas regiões estão com tendência de alta. As regiões metropolitana I (que inclui a capital), noroeste e serrana, por exemplo, estão na bandeira vermelha.

“O cenário epidemiológico vem apresentando um aumento no número de casos e, por isso, de forma antecipada, colocamos em prática, o Plano de Contingência da Covid-19. Ele nos permite tomar decisões com mais tranquilidade, como a abertura de leitos, as medidas de flexibilização, entre outras ações assistenciais”, afirmou o secretário Alexandre Chieppe, segundo nota divulgada pela Secretaria Estadual de Saúde.

 

 

 


A 44a edição do Mapa de Risco da Covid-19 do Rio de Janeiro mostra que o estado continua em bandeira amarela (risco baixo para a doença). Essa é a sexta semana consecutiva que o Rio apresenta bandeira amarela, segundo a publicação da Secretaria Estadual de Saúde.


O estudo prevê uma escala de cinco bandeiras: roxa (risco muito alto), vermelha (risco alto), laranja (risco moderado) e verde (risco muito baixo), além da amarela. O estado teve uma redução de 16% no número de mortes por covid-19 e de 6% nas internações por síndrome respiratória aguda grave (SRAG), entre as semanas epidemiológicas 29 (18 a 24 de julho) e 31 (1o a 7 de agosto).


De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, o momento, no entanto, é de alerta, já que, apesar disso, algumas regiões estão com tendência de alta. As regiões metropolitana I (que inclui a capital), noroeste e serrana, por exemplo, estão na bandeira vermelha.


“O cenário epidemiológico vem apresentando um aumento no número de casos e, por isso, de forma antecipada, colocamos em prática, o Plano de Contingência da Covid-19. Ele nos permite tomar decisões com mais tranquilidade, como a abertura de leitos, as medidas de flexibilização, entre outras ações assistenciais”, afirmou o secretário Alexandre Chieppe, segundo nota divulgada pela Secretaria Estadual de Saúde.


Notícias relevantes: