Últimas

Doria anuncia calendário para terceira dose contra a covid em São Paulo

Terão acesso às vacinas os imunossuprimidos acima de 18 anos e idosos a partir de 60 anos


Divulgação
Doria anuncia calendário para terceira dose em São Paulo
Crédito: Divulgação

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB) anunciou hoje o calendário para a aplicação da terceira dose dos imunizantes contra a covid-19. A partir da próxima segunda-feira (6), terão acesso às vacinas os imunossuprimidos acima de 18 anos e idosos a partir dos 60 anos. No total, 7,2 milhões de pessoas serão contempladas com a dose adicional.

As informações foram divulgadas hoje em coletiva de imprensa realizada no Palácio dos Bandeirantes. Doria voltou a afirmar que desde o início da pandemia defendeu a ciência, a saúde e a medicina.

CALENDÁRIO

6 a 12/09: 90 anos ou mais

13 a 19/09: 85 a 89 anos

20 a 26/09: 80 a 84 anos e imunossuprimidos

27/09 a 03/10: 70 a 79 anos

04/10 a 10/10: 60 a 69 anos

A declaração acontece na mesma semana em que foi agendada uma manifestação a favor do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no feriado de 7 de Setembro na Avenida Paulista.

Sem citar diretamente Bolsonaro, Doria falou que diferente do governo federal, a gestão estadual prioriza a ciência e, por essa razão, não seguirá o PNI (Programa Nacional de Imunização). O programa prevê a terceira dose para idosos a partir dos 70 anos.

Passaporte da vacina na cidade de SP

Começa a valer a partir de hoje o passaporte da vacina - documento que comprova a imunização contra a covid-19. O identificador será necessário para a entrada em eventos com mais de 500 pessoas na cidade de São Paulo.

Publicado na última semana com a assinatura de Ricardo Nunes (MDB), a medida determina que entre os eventos que exigirão o passaporte estão shows, feiras, congressos e jogos.

Bares, restaurantes e shoppings não serão obrigados a cobrar a apresentação do passaporte. Segundo o decreto, a comprovação poderá ser feita por meio físico ou o digital, disponível nas plataformas VaciVida e ConectSUS.

Queiroga é contra passaporte da vacina

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, se posicionou contra a adoção do passaporte da vacina, instrumento de controle contra a pandemia adotado por regiões de São Paulo e do Rio de Janeiro.

Segundo o ministro, a medida "não ajuda em nada". Queiroga afirmou ainda que o povo brasileiro "é livre" para poder escolher os métodos de combate ao coronavírus. "Não ajuda em nada. Somos contra isso. O povo brasileiro é livre, queremos que as pessoas exerçam de acordo com sua consciência", disse.

As falas de Queiroga contra as medidas sanitárias que buscam frear a contaminação pela doença acontecem mesmo com o avanço da variante delta, a mais contagiosa da covid-19.


Notícias relevantes: