Últimas

SP pede que Anvisa autorize vacinação de crianças contra a covid-19


Tomaz Silva/Agência Brasil
Rio promove o Dia D da Campanha de Multivacinação em crianças e adolescentes.
Crédito: Tomaz Silva/Agência Brasil

O governo de São Paulo vai enviar hoje (3) um ofício à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) pedindo que seja autorizada a vacinação contra a covid-19 em crianças de 5 a 11 anos de idade. O anúncio foi feito pelo governador João Doria, ao destacar que outros países da América do Sul estão fazendo a imunização nessa faixa etária.

“O governo de São Paulo envia hoje ofício à Anvisa solicitando que autorize com urgência o início do processo de vacinação de crianças de 5 a 11 anos. Lembrando que países como o Chile, a Argentina e a Colômbia já iniciaram a vacinação de crianças”, disse Doria, em entrevista coletiva nesta tarde.

Segundo o secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, apesar das solicitações para uso das vacinas serem feitas pelos fabricantes dos imunizantes, o governo quer “sensibilizar” a agência e os laboratórios para o tema. “Esperamos sensibilizar não só a Pfizer, como a própria Agência Nacional de Vigilância [Sanitária] da necessidade urgente em controlar a pandemia no nosso país. Outros países já vem utilizando a vacinação nessa faixa de 3 a 11 anos, garantindo, dessa forma, a proteção desse grupo, bem como a redução da circulação de vírus e a possibilidade de surgimento de novas variantes”.

O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, que desenvolve em parceria com o laboratório chinês Sinovac a vacina contra o coronavírus - CoronaVac -, disse que o imunizante também é seguro para aplicação em crianças. “A CoronaVac é a vacina mais segura para o uso em crianças e adolescentes. É a vacina que foi mais aplicada nessa população no mundo. Hoje, próximo de 70 milhões de crianças e adolescentes foram vacinadas”.

De acordo com Covas, a CoronaVac tem sido usada nessa parcela da população desde setembro no Chile.

Máscaras

A previsão do governo estadual é que, no início de dezembro, possa ser liberado o uso de máscaras de proteção facial em espaços abertos. Segundo o coordenador do comitê científico do estado, João Gabbardo, se os indicadores da pandemia continuarem a evoluir favoravelmente na mesma velocidade, o uso do protetor poderá ser flexibilizado.

Para isso, de acordo com Gabbardo, será necessário que as internações por covid-19 caiam para menos de 300 por dia e as mortes, na média móvel, para menos de 50 diárias. Também é preciso, segundo o coordenador científico, que mais de 75% da população total esteja vacinada contra o vírus.

Evolução da doença

Atualmente, 88% da população com mais de 18 anos do estado de São Paulo está vacinada. O índice possibilitou a queda de 93% das mortes diárias em comparação com o pico da pandemia. Em 1º de abril de 2021 foram registradas 890 mortes pela doença, ontem (2) foram a óbito 62 vítimas da covid-19.

Durante a pandemia, 152 mil pessoas morreram no estado após infecção com o coronavírus. Hoje (3) são 3,2 mil pessoas internadas pela doença, sendo 1,5 mil em Unidades de Terapia Intensiva (UTI). A taxa de ocupação de leitos de UTI está em 25,9% no estado e 34,9% na Grande São Paulo.


Notícias relevantes: