Últimas

PM do Rio de Janeiro reforça policiamento no réveillon


 Fernando Fraz..o/Ag..ncia Brasil
Rio de Janeiro - Policiais durante posse do coronel Luis Cl..udio Laviano como comandante da Pol..cia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ) em solenidade no Batalh..o de Pol..cia de Choque (Fernando Fraz..o/Ag..ncia Brasil)
Crédito: Fernando Fraz..o/Ag..ncia Brasil

O plano especial de policiamento montado pela Polícia Militar para o réveillon mobilizará 18.045 mil policiais e 2.280 viaturas, atuando em todo território estadual. Serão contempladas com maior reforço de efetivo a capital do estado e cidades litorâneas com grande afluxo de turistas, sobretudo da Região dos Lagos. Mesmo com os festejos na capital e no interior programados pelas prefeituras com limitações impostas pela crise sanitária, o comando da corporação empregará um efetivo 17% superior ao mobilizado na passagem de 2019 para 2020, antes do início da pandemia de covid-19. Em relação ao número de viaturas o aumento foi de 14%. O esquema especial de policiamento começa às 8h de sexta-feira (31) e se estende até as 20h de sábado (1º).

Apesar do cancelamento dos shows e das restrições de acesso em direção à orla da capital, o planejamento de segurança para os festejos em Copacabana prevê um reforço maior de efetivo para o bairro e o emprego de duas inovações tecnológicas inéditas. Serão empregados 2.482 policiais militares para atuar tanto na orla da Avenida Atlântica como nas ruas internas, um efetivo 21% maior ao que foi mobilizado no réveillon do bairro na passagem de 2019 para 2020.

Pela primeira vez, as equipes de patrulhamento estarão equipadas com câmeras portáteis, adquiridas recentemente pelo governo estadual. O mesmo equipamento será utilizado pelos policiais da Operação Lei Seca. A outra novidade tecnológica será o registro de ocorrência pelo sistema BOPM On-line. Ainda em Copacabana, todo o trabalho será coordenado por operadores posicionados em dois carros de comando, um estacionado na Avenida Princesa Isabel e outro em frente à Rua República do Peru. Serão instaladas em pontos estratégicos 30 torres de observação (15 no calçadão e 15 na areia), para auxiliar as equipes do policiamento dinâmico. Nos dois principais corredores internos do bairro, Avenida Nossa Senhora de Copacabana e Rua Barata Ribeiro, estarão posicionadas 64 viaturas em pontos de maior visibilidade. Outras 72 viaturas estarão baseadas em outros pontos ou no policiamento dinâmico.

Em apoio à prefeitura, policiais das equipes de motopatrulhamento estarão a postos nos 32 pontos de bloqueio de trânsito de acesso ao bairro. Além de Copacabana, haverá significativo reforço de policiamento em outros nove locais da capital onde a prefeitura programou queima de fogos: Aterro do Flamengo, Piscinão de Ramos, Ilha do Governador, Igreja da Penha, Parque Madureira, Bangu (Moça Bonita), Praia de Sepetiba, Recreio e Barra da Tijuca. Na maioria desses bairros, as ações de segurança pública terão a preocupação adicional de não permitir que o público se aproxime das áreas destinadas à colocação dos fogos para evitar acidentes. Vale lembrar que, à exceção de Copacabana e Flamengo, onde os fogos ficarão em balsas flutuantes no mar, nos demais locais os explosivos serão instalados em solo.


Cidades litorâneas do interior

Neste réveillon, o planejamento contemplou também de forma bastante significativa o policiamento nas cidades do interior, especialmente as localizadas no litoral do estado, onde as prefeituras locais programaram queima de fogos, como Niterói, Maricá, cidades da Região dos Lagos e da Costa Verde. Em Cabo Frio, a maior cidade da Região dos Lagos, o comando do 25º BPM recebeu reforço de policiais militares, incluindo o emprego de drones. Ainda em reforço ao policiamento no interior do estado, o Batalhão de Polícia Rodoviária ampliou o efetivo em 40% para intensificar o patrulhamento nos 6 mil quilômetros da malha rodoviária estadual.


Notícias relevantes: